Salário mínimo 2014


Salario Minimo 2014-

O programa do PT previsto ainda no governo Lula que tem por finalidade reajustar o salário até 2015 ainda continua e acaba sempre gerando muita polêmica, não só entre os trabalhadores brasileiros que estão cientes de que os aumentos não adiantam de nada, visto que os valores de produtos e serviços aumentam com a mesma frequência do salário, fazendo com que o aumento se torne inútil, mas também gera polêmica em outros estados que acabam tendo problemas em manter sua economia devido ao aumento do salário. Esse é um problema que está ficando comum durante os últimos anos, e para isso alguns estados vem criando sua própria tabela.

Qual será o valor nacional

A nível nacional o salário será de R$ 724,00, esse valor já entrou em vigor desde o dia 1 de janeiro de 2014 e consequentemente durante o mês de janeiro ou início de fevereiro as empresas já começam a pagar seus funcionários com esse reajuste no salário. Mas alguns estados acreditam que esse aumento não é relevante ou não irá trazer benefícios para os profissionais, por isso estipulam seus próprios valores.

Entre os estados que resolveram estipular o valor do salário por conta própria estão Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul. Esses estados criaram uma tabela que tem por finalidade classificar os profissionais e consequentemente estipular um mínimo para o pagamento de seu salário, por sua vez esses estados ainda não informaram a data oficial no qual será implantado o novo valor do salário mínimo.

Segundo informações o ajuste do salário para esses estados será para o dia 1 de maio, porém ainda não existe uma data oficial para que esse novo salário entre em vigor nos 5 estados que foram informados acima. Para os profissionais desses estados, o salário vigente ainda fica sendo o salário de 2013, e somente após concesso dos governos os salários serão devidamente atualizados, ficando ciente de que todos os 5 estados propuseram um salário mínimo maior do que se comparado com os outros estados não citados.

Adicionar comentário